Arquivo da tag: Gary Hamel

What good does it do studying so hard?

There at the bed side lies a small pile of books – one of which already shows signs it has been overused and overread. It is my piece of research. Add to that my new kindle – in its black leather case and silently waiting its owner. It is time to recharge it – I tell myself.

The written material is partly lost in my backpack, partly found in my files in my notebook. I already have shared both in public presentations and to my social network. But I want more. Every additional argument is one more reason to share.

At one side I already know what we are suppose to discuss – incite leaders to focus on the most important issue for their organizations: to transform, to adapt, to be flexible. On the other hand I must make new my approach – being more relevant to my audience.

Gary Hamel also waits for me. But he is screams out loud in my head. I know we have to get over those issues.

What can I say? Management demands an innovative doctrine. More than a century has gone by, and so little change. But the television tells me that we are living in a completely new time – so that is the proof I need. Maybe my final argument.

So why keep on studying?

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Um Olhar Atento na Organização

Os muros que separam iguais devem ser derrubados – literalmente!

Ao finalizar com mais um post esta mini série sobre Gary Hamel, compartilho três insights complementares que nos motivam a compreender mais de sua posição e a adentrar em seus escritos.

Creio que o grande ponto – a questão nuclear que se enfatiza e que pode se tornar a grande epifania de empresários, executivos e líderes – reside na chamada por transformação das organizações para se tornarem centradas na pessoa. Essa aparente obviedade contém muito mais verdade que uma mente que digere rápido pode aguentar. É algo muito profundo e com inúmeras implicações. Somos pegos na armadilha do ‘me engana que eu gosto’.

Definitivamente essa verdade é fortemente desprezada, comumente falseada, amplamente desvirtuada. Todo o peso centenário de modelos mentais que levaram a organização a ser burocrática, centrada em processo, mecanicista e cartesiana, fazem do desafio humano uma empreitada mais do que hercúlea – quase impossível, quase utópica. Humanizar a organização moderna estará no topo da prioridade nas agendas de líderes de sucesso.

Eu diria que essa é a missão da vida de Gary Hamel – sua mais importante bandeira.

A sua empresa precisa ser mais humana e totalmente adequada para as pessoas – se quiser sobreviver nos anos à frente.

O segundo ponto que nos chama atenção em seus escritos e discursos é que devemos derrubar os muros do Apartheid criativo e intelectual. O mundo de hoje é feito de ideias – e isso não é privilégio de uns poucos. A inovação, a criatividade, os múltiplos insights podem e devem vir dos colaboradores de todos os níveis. E devemos abrir a empresa para tal.

De novo aqui parece ser simples. Mas não é. Imediatamente respondemos: “Mas já temos caixinha de sugestão” – e outras respostas tolas do tipo. Há um distanciamente monstruoso entre quem tem a palavra, entre quem pode ser ouvido, e até em quem finalmente pode decidir. Aprendemos e aplicamos a hierarquia, a distribuição de funções, a burocracia rígida exatamente para dizer: aqui somos adultos, e lá estão as crianças. Essa divisão que certamente existe na sua Organização está enraizada da planta do pé até os fios dos cabelos. Esses muros devem ser derrubados – e já!

E por final o último argumento que traz uma luz definitiva para o futuro, refere-se ao que Hamel chama de Geração Facebook. Há muito venho escrevendo e palestrando a respeito dos Nativos Digitais – e definitivamente esse é um assunto que toda e qualquer empresa tem se debruçado. As demonstrações de que há um novo ser no ambiente empresarial são sentidas na prática. Sabemos que eles pensam bem diferente das nossas gerações (que hoje estão no comando – gestores e executivos com idade acima de 35 anos). Não é só a pegada digital que traz mudanças – há muito a se entender. Por isso que eu mesmo tenho enfatizado que não se trata de uma questão tecnológica e sim sociológica.

Neste cenário cada vez mais complexo somos chamados a transformar as nossas empresas. Permita- me ser bem franco: se você não está com um frio na barriga, muito provavel você ainda está vivendo no século XX.

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Entrevista com Gary Hamel

Gary Hamel foi entrevistado por Ricardo Lessa

No início deste mês a Globo News apresentou no Conta Corrente Especial uma entrevista muito boa com Gary Hamel. Assista aqui. O paralelo com os temas que estamos nos dedicando ao longo desta semana, é bastante oportuno. Vale a pena – não só pela forma didática que o programa traz no modo de entrevista, mas também pela fala objetiva e direta, enaltecendo o papel dos ‘renegados’.

Ao todo são cerca de 20 minutos de entrevista. Comente ou questione para continuarmos com esse debate tão importante na reconfiguração da gestão moderna.

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Reinventando a Administração: O que Importa Agora

Videos legendados de Gary Hamel auxiliam na compreensão de seu pensamento

Esta semana será dedicada a Gary Hamel. As razões para isso vão além da leitura de sua última obra: O QUE IMPORTA AGORA – Como construir empresas à prova de fracassos (Campus – Elsevier), que pretendo compartilhar nos posts.

Destaco a importância do momento em que a Administração está sendo repensanda, criticada e reinventada. E saiba por que você não pode ficar passivo.

Primeiro que Gary Hamel – considerado um dos grandes pensadores do mundo dos negócios da atualidade – tem como missão de vida nos libertar das amarras da Administração ultrapassada. Sua iniciativa no Management Mix é da hora! O que ainda hoje estudamos e praticamos nas empresas são os princípios elaborados a mais de cem anos, para um mundo industrial em construção. Não se pode mais pensar nas mesmas bases de comando e controle, de descrição de funções e de fluxo orientativo de cima para baixo – para citar algumas práticas (que entre outros pontos críticos ainda é lugar comum nas empresas).

Em segundo lugar tenho acompanhado sua linha e feito dela uma plataforma para auxiliar as empresas e seus administradores. Não sómente no cotidiano da nossa Consultoria, mas também no programa PENSE MELHOR da Pós Graduação da FAAP onde temos contribuido com o curso baseado em outra obra de Hamel: O FUTURO DA ADMINISTRAÇÃO.

Em terceiro lugar destaco que há um movimento em ebulição que suplanta fronteiras geográficas, medalhões e escolas. Há dezenas de autores, blogueiros, pensadores e ativistas do meio empresarial que vem se antecipando à essas mudanças (há quem denomine de revolução). Me sinto seguro em dizer que faço parte desse grupo de ‘renegados’, que correm por fora construindo um novo caminho e desbravando um novo amanhã. A melhor forma de se preparar para o futuro é você mesmo construí-lo.

Recomendo portanto a leitura de Gary Hamel – neste seu último livro destacam-se as chamadas alavancas da mudança e longe de ser um passo a passo – trata-se de um Manifesto pela transformação, o preparo para os dias difíceis e a construção de um amanhã promissor. As alavancas são: Valores (resgatando um postura de responsabilidade moral e ética para os líderes empresariais); Inovação (uma abordagem realística e bem focado num tema que ainda carece de bons conteúdos); Adaptabilidade (a necessidade de se ter organizações e pessoas que são flexíveis e rápidas – e que sabem evoluir no DNA do comprometimento interno); Paixão (e como é possível se construir um time – ou uma comunidade – de apaixonados por uma missão); e Ideologia (colocando o dedo na ferida de um pragmatismo administrativo sem cérebro e sem alma).

No fundo é mais uma obra a nos devolver esperança, exatamente por ser desafiadora e argumentativa. E ao mesmo tempo por deitar princípios e fundamentos que permitem ao negócio (de qualquer tamanho) seguir em sucesso, lucratividade e perspectiva futura.

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Faap de Ribeirão Preto

Participantes do curso em Ribeirão Preto

Nesta sexta-feira estive em Ribeirão Preto ministrando o curso O FUTURO DA ADMINISTRAÇÃO, a exemplo da primeira edição que aconteceu no mês de junho em São Paulo. Como já antecipei – tenho me debruçado em interpretar, contextualizar e promover a discussão e o aprofundamento do tema. O curso é todo ele baseado na obra do mesmo nome, de Gary Hamel, lançado aqui no Brasil pela Campus. Esse curso faz parte do Programa PENSE MELHOR. Saiba mais aqui.

Discussões inteligentes e divertidas

A grande questão levantada no pequeno vídeo de introdução (com legendas em português) é que hoje a Administração não mais está resolvendo a questão humana no campo corporativo. Pelo contrário, conforme Weber antecipou há mais de um século, a burocracia leva à uma desumanização no ambiente de trabalho.

Gente de diferentes empresas e segmentos

A administração foi elaborada com o fim de trazer rotinas padronizadas, maximizar a disciplina e a dedicação, e organizar processos complexos e de múltiplas etapas – práticas amplamente aplicadas no esforço fabril e na manufatura. Mais recentemente a prestação de serviços, também assimilou os mesmos procedimentos e rotinas.

Colaboração e participação dos presentes respeitando a diversidade

Ao final, deixei os seguintes livros como eventuais desdobramentos para o crescimento individual e perspectiva de aprodundamento no tema: A arte de Fazer Acontecer (de David Allen); Liderando com Metas Flexíveis (de Niels Pflaeging); O que Google Faria (de Jeff Jarviz); e Ascensão e Queda do Planejamento Estratégico (de Henry Mitzenberg).

A discussão e o debate continuam. Em breve mais novidades!

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized